O Poder da Imaginação

Foi assim e sempre assim será; – Grandes Obras, Grandes Homens… a quem chamamos “Génios”. Figuras como Pitágoras, Einstein, Newton, Galileu, Da Vinci… são apenas alguns exemplos.

Os Génios se destacam-se em todos os ramos da actividade humana, mas como a maioria de nós gosta muito do tema, falemos um pouco de desporto.

Grandes futebolistas, por exemplo, são reconhecidos pela sua entrega total em cada desafio. São os primeiros a chegar e normalmente os últimos a deixar o treino. Contudo, o segredo do seu sucesso é precisamente o trabalho feito longe dos relvados/sem bola, e não raro no aconchego do próprio leito. Esse trabalho sem bola, que com certeza consome a maior parte do seu tempo, nada mais é do que a Imaginação”.

A Imaginação é uma faculdade inata, que, com maior ou menor convicção, cada um nós usa todos os dias (para não dizer ininterruptamente).

Através da Imaginação esses nossos ídolos criam tudo aquilo que de bom nos mostram durante as competições e não só. Cada jogada, cada golo, nada mais são do que o resultado de um trabalho prévio… um trabalho de laboratório desenvolvido única e simplesmente com o Poder da Mente.

O nadador Americano, Michael Phelps revelou imaginar-se todos os dias fazendo a prova perfeita em cada um dos estilos. E o resultado todos nós pudemos assistir durante os Jogos Olímpicos de 2012. A inédita proeza de 19 Medalhas de Ouro.

Pessoalmente, a minha primeira grande experiência terá sido em 1987. Estudava então o 2º Ano do Curso de Construção Civil na Escola Técnica do Mindelo;

– Ao me preparar para um exame de História, ocorreu-me memorizar as diferenças entre o Homem e o Símio. Estava convicto e tal pergunta acabou efectivamente por sair na prova. Creio que o suficiente para me safar, ou pelo menos me levar às provas orais, pois tive 11 Valores. Não gostava nada de História, devo dizer.

Reflicta por momentos e identificará por certo, momentos em que claramente tenha beneficiado do poder da sua Imaginação.

Poderá igualmente abordar o assunto com outras pessoas, e conclusão será sempre a mesma, pois é uma experiência comum.

Independentemente da designação que entendermos usar (Imaginação, Intuição, ideia…), se bem explorada, esta nossa faculdade inata nos ajudará a simplificar e alcançar todo e qualquer grande desafio.

 

Laurindo Santos.

Please follow and like us:
0

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*